• Jornal Esporte e Saúde

Flamengo renova com craques e vai forte para final da Libertadores

Direção antecipou em dois meses a renovação Diego Alves, Diego e Filipe Luís


As renovações antecipadas de Diego, Diego Alves e Filipe Luís dão paz para as disputas de títulos

MARCELO CORTÊS/FLAMENGO


Dois meses antes.


Sem drama, sem confusão, sem guerra fria, sem leilão.


O vice Marcos Braz quer o Flamengo sem clima tenso no final da temporada.


E tratou de acertar a renovação de contrato dos líderes do Flamengo.


A renovação foi praticamente nas mesmas bases do contrato atual.


Por que a antecipação com jogadores que completarão 37 anos no próximo ano?


Por um simples motivo: na análise da diretoria não há no mercado jogadores tão talentosos. E com profunda identificação com o Flamengo.


E também porque só quatro contratos terminam neste ano. O quarto não será renovado. Bruno Viana, emprestado pelo Braga, não aprovou. E perdeu o pouco espaço que tinha com a chegada de David Luiz.


A permanência do trio, ou 'trinca', como ironiza Marcos Braz, vai além do rendimento no gramado. Os dirigentes entendem que os três são responsáveis pelo comportamento competitivo, que busca a hegemonia no Brasil, na América do Sul.


Diego Ribas, que nem é titular absoluto, cansa de cobrar e ser ouvido pelos companheiros, mesmo estando no banco. Gabigol é um dos que mais se dobram diante das cobranças do meio-campista.


E é muito provável que 2022 seja o último ano de Diego Ribas como jogador. Há uma grande chance de que ele se aposente e se prepare para trabalhar como funcionário do Flamengo. Como dirigente ou mesmo como treinador.


A antecipação da confirmação do trio traz tranquilidade e confiança para as semifinais da Copa do Brasil, para a final da Libertadores e para a caça à liderança do Atlético Mineiro no Brasileiro.


A notícia circula desde o fim de semana na Gávea.


Foi uma decisão mais do que acertada da direção do Flamengo.


Aliás, a manutenção do time é um dos segredos do clube.


Do time titular da final da Libertadores de 2019, só Rafinha, Pablo Mari e Gerson não estão na equipe principal atual. Nenhuma equipe de ponta do país mudou tão pouco. E manteve tanta qualidade.


Acertando com o trio, os dirigentes terão mais tempo para tentar resolver a intrincada situação de Arrascaeta, que tem contrato até 2023. Mas exige aumento de salário e quer que o clube compre parte dos seus direitos.


Nada acontece por acaso no Flamengo...


* https://esportes.r7.com/.




4 visualizações0 comentário