• Jornal Esporte e Saúde

Alunos optaram pelo Enem digital por 'aventura' e novidade, mas temem computador 'perder tudo'


Imagem: Reprodução internet.


Ao G1, cinco estudantes contam que ineditismo, a preferência por telas e a facilidade ao preencher gabarito foram razões para aderir ao formato. Eles temem, por outro lado, problemas nas máquinas.


O primeiro Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) digital será aplicado nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Os candidatos puderam escolher, no momento da inscrição, se gostariam de participar do novo formato ou se prefeririam a versão tradicional (impressa).


Das 100 mil vagas para a edição digital, 96.086 foram efetivamente preenchidas. Por que estes estudantes optaram por ela? Ao G1, cinco candidatos relatam as motivações e os receios de participar do exame inédito. Eles dizem que queriam a “aventura” e a “novidade”, mas estão preocupados com eventuais problemas técnicos nos computadores.


- ‘Quero aventura!’


“Quando falei para os meus amigos que ia fazer o Enem digital, eles me chamaram de louco!”, conta Leonardo Camargo, de 22 anos, estudante de Carapicuíba (SP). “Mas é uma proposta nova, aí fiquei muito curioso e resolvi arriscar.”


A paulistana Geovanna Cardoso, de 19 anos, também se inscreveu para o novo formato. Ela já estuda direito em uma instituição de ensino particular, com bolsa parcial, mas quer uma vaga na rede pública.


“Tô nessa pela novidade mesmo, pela aventura”, afirma.


- ‘Pensei que fosse em casa’


Geovanna conta um segundo aspecto que a incentivou a escolher o Enem digital.


“Achei que fosse fazer a prova na minha casa, com fiscais me vigiando pela webcam. Por causa da pandemia, seria mais seguro e teria menos exposição [ao vírus]”, diz.

“Depois que descobri que preciso ir até uma faculdade escolhida pelo Inep para prestar o exame.” Mesmo assim, ela não desistiu da avaliação.


Assim como a jovem, outros candidatos também confessaram, nas redes sociais, que pensavam que o Enem digital seria em casa, no próprio computador.


- ‘Fico mais à vontade no computador’


Pedro Augusto Ferreira, de 17 anos, terminou o ensino médio em Cuiabá. Ele escolheu o Enem digital porque prefere a tela ao papel.


“Tenho déficit de atenção, e provas impressas me trazem mais dificuldade de concentração”, diz. "Fui criado mexendo no computador - fico mais aliviado e seguro.”


Um argumento semelhante levou Thomas Formiga, da mesma idade, a optar pelo formato virtual em São Paulo. “Eu estudo só com conteúdos da internet. Fico mais confortável; estou bem mais acostumado com telas”, conta.


‘Mais fácil de preencher o gabarito’


Não ter de usar caneta para preencher as respostas é outro chamariz do Enem digital. Apenas a redação será manuscrita.


“Quando eu fiz o Enem impresso, a possibilidade de errar o gabarito era muito grande. Agora, é só clicar e pronto, tá marcado. É uma vantagem grande”, diz Geovanna.


‘Dá medo de o computador quebrar’


Apesar de terem escolhido o Enem digital, os jovens entrevistados pelo G1 contam que estão inseguros com eventuais problemas técnicos no local de prova.


“Fico preocupada, porque o site do Enem vive dando problema. Não sei se vai funcionar, fico com medo de ser a primeira vez e de ter muitos erros”, diz Evelyn Brito, de 19 anos, do Rio de Janeiro.


Geovanna tem o mesmo receio. “Existe a desvantagem de pegar um computador que não esteja muito bom. Ou de ele desligar de repente e eu perder tudo”, diz.


Segundo o Inep, haverá máquinas extras e um técnico de informática em cada sala. Se um computador apresentar problema, o profissional avaliará a possibilidade de transferir o candidato para outro.


Caso o procedimento demore menos de 15 minutos, o estudante pode terminar a prova. Se levar mais tempo, ele terá de fazer a reaplicação do Enem em fevereiro.


Thomas se tranquilizou depois de descobrir esse e outros detalhes por um tutorial, em vídeo, enviado há alguns dias pelo Inep. “No começo, ninguém explicou como seria, não deram detalhes. Agora, fiquei mais confiante.”


* https://g1.globo.com/educacao/enem/2020/Por Luiza Tenente e Elida Oliveira, G1.


Patrocinado:







2 visualizações0 comentário