• Jornal Esporte e Saúde

Taxa de hospitalizações de pacientes com covid no Rio cresce mais de 5% em 24h

Governo do Estado e Prefeitura do Rio anunciam medidas para frear o avanço da pandemia



Em coletiva no Palácio Guanabara, o Prefeito Crivella e o Governador em exercício,Claudio Castro, anunciam novas medidas contra o Covid - 19.

Estefan Radovicz / Agencia O Dia


Rio – Com o estado do Rio de Janeiro atingindo a marca de 23.017 óbitos e 367.641 casos confirmados desde o início da pandemia, os números não param de aumentar. Nas unidades municipais da Capital, só nas últimas 24h, houve um aumento de 5,4% na taxa de hospitalizações de pacientes internados com covid. Segundo o boletim divulgado nesta sexta-feira pela Secretaria Municipal de Saúde, às 18h47, o número de hospitalizações chega a 721, contra 684 anunciados nesta quinta-feira.


Em contrapartida, houve uma redução no numero de pacientes na UTI. Eram 286 nesta quinta-feira, contra os 278 desta sexta. Uma queda de 2,7%.


* MEDIDAS RESTRITIVAS PARA FREAR A COVID-19


Tanto Governo do Estado quanto Prefeitura do Rio anunciaram, nesta sexta-feira, medidas para conter o avanço da pandemia. O plano inclui abertura de 386 leitos exclusivos para tratamento de pacientes da doença no estado, reforço na fiscalização a eventos, suspensão de cirurgias de baixo risco e suspensão das aulas na rede municipal. Além disso, também foram reservados R$ 600 milhões para compra de vacinas contra a covid-19.


“A pandemia não foi embora, vivemos um ano extremamente difícil, em que muitos tiveram prejuízos incalculáveis e muitos não conseguiram trabalhar. Precisamos que a cadeia produtiva se conscientize de que, para não haver retrocesso, temos que assumir nossas responsabilidades: distanciamento social, uso de máscara, sanitização. É um clamor que faço às empresas para que cuidem de seus funcionários e da população em geral”, afirma o governador em exercício, Cláudio Castro.


Como medida para evitar aglomerações nos transportes durante compras do Natal, shoppings e centros comerciais serão autorizados a ficar abertos de madrugada. "Isso é para que as pessoas não tenham pressa, porque os shoppings e centros comerciais não vão fechar. O objetivo dessa medida é evitar acúmulo de pessoas nos meios de transportes", afirma Marcelo Crivella, prefeito do Rio.


Para a médica Roberta França, medidas como shoppings funcionando 24h e aulas suspensas na rede municipal não têm o menor sentido. “Medida restritiva é voltar a restringir o shopping aberto, o restaurante aberto, as casas de shows, os cinemas, isso sim, lugares onde as pessoas verdadeiramente ficam aglomeradas, ficam muvucadas literalmente. Não usam máscara, porque é mentira falar que as pessoas usam máscara, pois não usam. E quando usam, usam no queixo, no braço, no bolso, em tudo que é lugar. Menos aonde realmente precisa, que é tampando a boca e o nariz”, avalia a especialista em geriatria, que atua na linha da frente no combate ao novo coronavírus.


* OUTROS NÚMEROS DO NOVO CORONAVÍRUS


Ainda nesta sexta-feira, a rede SUS na capital, que engloba unidades municipais, estaduais e federais, tem 1366 pessoas internadas em leitos especializados. Isso representa um aumento de 1% em relação à esta quinta-feira, que eram 1352.


Na UTI, no mesmo período, houve uma redução de 566 desta quinta-feira para 564 nesta sexta-feira, o que representa uma queda de 0,3%.


O número de pessoas que aguardam na fila também cresceu. Na quinta-feira eram 330 pessoas aguardando transferência para leitos na capital e na Baixada Fluminense. Nesta sexta-feira, já chegam a 344 pessoas, um aumento de 4,2%. Nos leitos de UTI covid, houve uma queda de 166 desta quinta-feira para 162 nesta sexta, representando uma redução de 2,4%.


* https://odia.ig.com.br/.



14 visualizações0 comentário