top of page
  • Foto do escritorJornal Esporte e Saúde

Ricardinho disputa o Brasileiro de Canoa Polinésia neste fim de semana


Um mar de possibilidades foi o que o atleta José Ricardo Onofre, de 17 anos de idade, vislumbrou ao ingressar na Canoa Polinésia. Ele disputa, desta sexta-feira (5) a domingo (7), o Campeonato Brasileiro de Va'a (canoa), em quatro categorias, que ocorrerá em Santos-SP. Em agosto, Ricardinho representará o Brasil e Macaé no Campeonato Mundial do esporte, em Hilo-Havaí.  Ele conquistou, em março, os títulos de campeão estadual na canoa para um remador (OC1), categoria Júnior-19, e campeão na canoa para seis remadores sem leme (Oc6), na mesma categoria.


Macaé conta com cerca de dez clubes de Canoa Polinésia e tem muitos praticantes. Desde 2023, Ricardinho integra o programa Bolsa Atleta Macaé, o que, segundo ele, foi um divisor de águas em sua carreira. “Fico feliz em participar destas competições. Tento conciliar a escola, o trabalho, os treinos e a academia. É bem difícil.  O Bolsa Atleta de Macaé me ajuda bastante: inscrições nas competições, combustível, suplementos e equipamentos. Sou bolsa atleta desde o ano passado e foi quando consegui me desenvolver mais no esporte. Melhorei bastante. Graças ao Bolsa Atleta, pude participar do Campeonato Brasileiro em Brasília-DF, no ano passado. Este ano, abri ainda uma ‘vaquinha’ e queria pedir apoio de quem puder ajudar para a minha participação no Campeonato Mundial no Havaí”, disse.  As colocações 2⁰ lugar V6 500 m e também nos 1.000 m no Brasileiro Va'a de sprint, em outubro de 2023, garantiram a vaga de Ricardinho no mundial deste ano.


O secretário de Esportes de Macaé, Marvel Maillet, destacou a importância do programa para o desenvolvimento dos atletas do município. “Estou muito feliz em ver os atletas de Macaé despontando em todas as modalidades esportivas. O Bolsa Atleta tem revelado campeões no mundo. E o nosso campeão estadual, Ricardinho, com certeza, também terá sucesso no Campeonato Brasileiro de Canoa Polinésia. Estamos hoje contemplando 590 atletas de 48 modalidades diferentes”.


Ricardinho começou a ter aulas de Canoa Polinésia em Macaé em 2020, ano em que morava em Cabo Frio-RJ. Em 2021, começou a treinar com a atleta (categorias Open e Master 40), técnica independente e árbitra de Canoa Polinésia, Ana Moraes, que se dedica à Canoa Polinésia, em Macaé, desde 2019. A partir do final de 2022, ela passou a ser sua treinadora exclusiva e os trabalhos foram intensificados. No campeonato estadual deste ano, Ricardinho competiu pelo Clube Aldeia Va'a, através de uma parceria com o clube no qual é federado, o Crispy Koa Va'a.



Macaé tem história com a Canoa Polinésia desde 2013, quando o primeiro clube foi fundado no município, o Macaloha Va'a.  Em 2018, a cidade recebeu pela primeira vez o campeonato estadual deste esporte.  Os atletas treinam tanto na Lagoa de Imboassica, quanto no mar, na Praia da Imbetiba.


“Este esporte promove a integração social e com a natureza. É um esporte coletivo e tem também as canoas individuais. Aprendemos sobre coletividade e família. Importamos esta tradição. São mais de 3 mil anos de cultura polinésia. Há muita sinergia dentro da canoa. Todos em sintonia, com consciência corporal, trabalho em conjunto e a natureza.  Além disso, é um esporte que trabalha o corpo inteiro, não apenas os braços, como as pessoas imaginam”, frisa Ana Moraes.



A treinadora e o atleta promovem o projeto sócio esportivo Mana'olana Va'a de aulas de Canoa Polinésia para jovens e adolescentes de Macaé, gratuito para estudantes de escolas públicas municipais e estaduais, na Lagoa de Imboassica. O projeto é realizado em parceria com o Clube Macaloha Va'a.  Além deste projeto, o atleta, que passou na entrevista do visto para a viagem para o Havai na terça-feira (2), está em busca por patrocínios e apoios para a nova etapa. Os contatos para a participação nas aulas são: Instagram @ana.o.moraes, ou Whatsapp (22) 99254-5793.  O link para a ‘vaquinha’ é o https://www.vakinha.com.br/4422118.


Conheça mais sobre Canoa Polinésia:

 

V1 - canoa para 1 remador, possui um cockpit, sem leme, a direção é feita com o remo.

 

V1R ou OC1- canoa para 1 remador com leme feito nos pés através de 2 pedais.

 

V2R ou OC2 - canoa de 2 remadores com leme feito nos pés através de 2 pedais.

 

V3 - canoa para 3 remadores, sem leme

 

OC4 - canoa para 4 remadores e pode ser usada para prática de surf, sem leme.

 

OC6 - canoa para 6 remadores, sem leme

 

V6 - canoa para 6 remadores e possui cockpit para cada remador, sem leme.


* Texto: Jornalista Andréa Lisboa / Foto: Divulgação / Comunicação Macaé


Divulgação:



Luciana Perfumes e Presentes / 22 99824-9701 / Macaé / RJ




153 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page