• Jornal Esporte e Saúde

Prova de vida volta a ser exigida em agosto a mais de 200 mil inativos do Rio

Aposentados e pensionistas que não comparecerem a uma agência do Bradesco no mês de aniversário terão pagamento suspenso


Sérgio Aureliano, presidente do Rioprevidência, disse que vacinação foi fundamental para decidir retomada da prova de vida

Foto: reprodução internet


Suspensa desde março de 2020, em razão da pandemia da covid-19, a prova de vida exigida aos mais de 200 mil aposentados e pensionistas do Estado do Rio de Janeiro já tem data para ser retomada. A partir de agosto, os inativos e beneficiários de pensão nascidos naquele mês deverão comparecer a qualquer agência do Bradesco, nos dias úteis, para a atualização cadastral, informou à coluna o presidente do Rioprevidência, Sérgio Aureliano.

Quem não fizer terá o pagamento da aposentadoria ou pensão suspenso até que a situação seja regularizada.


O gestor da autarquia — responsável pelos benefícios previdenciários do estado — ressaltou ainda que será possível fazer o recadastramento por biometria. "Essa opção será para os que têm cadastro biométrico no Bradesco (banco que roda a folha de pagamentos do estado), que é com a palma da mão", pontuou.


DECISÃO SE DEU APÓS VACINAÇÃO


A decisão de retomar a prova de vida no início do 2º semestre teve como base a vacinação da população. “Devido à prioridade, os aposentados já estarão vacinados”, disse Aureliano. Alguns casos, porém, como de pensionistas, serão analisados especificamente.


Ele acrescentou que, para evitar aglomeração, foi descartada a hipótese de recadastramento de forma retroativa — ou seja, para quem já fez aniversário nos primeiros meses de 2021.


“Vamos começar em agosto somente para nascidos em agosto. Depois, aniversariantes de setembro deverão fazer e assim sucessivamente”, detalhou o gestor.


DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA

O recadastramento anual foi implementado no estado, em janeiro de 2020, como exigência permanente, mas teve que ser interrompido devido à pandemia. A medida é um dos mecanismos de controle da folha de pagamentos e de combate a fraudes. Sérgio Aureliano lembrou que o procedimento será feito como divulgado desde o início. Ou seja, para quem for no atendimento presencial, no caixa do banco — e não no autoatendimento —, será preciso levar os seguintes documentos (originais ou autenticados): Identidade, CPF e comprovante de residência (dos últimos três meses) em nome do próprio — na ausência deste, declaração de residência.


* https://odia.ig.com.br/colunas/servidor/POR PALOMA SAVEDRA.


10 visualizações0 comentário