• Jornal Esporte e Saúde

Em jogo com pancadaria no fim, Fluminense segura pressão, vence Athletico-PR e é campeão brasileiro

Moleques de Xerém marcam dois gols nos minutos inicias, mas Piazada do Caju reage e pressiona até o fim. Briga com direito a voadora em rosto de atleta do Flu e nove expulsos mancha minutos finais


- Uh, vem que tem taça dos #MlksDeXerém


O Fluminense é o campeão brasileiro sub-17 de 2020. O título inédito foi alcançado nesta segunda-feira, com uma vitória por 2 a 1 sobre o Athletico-PR na Arena da Baixada, em uma partida com pancadaria e nove expulsos nos minutos finais. Matheus Martins e Kayky marcaram os gols do Tricolor, enquanto Renan descontou para o Furacão. Os Moleques de Xerém já haviam vencido o jogo de ida pelo mesmo placar e fecharam o confronto em 4 a 2 no agregado.



Fluminense é campeão brasileiro Sub-17 (Foto: Mailson Santana / FFC)


- Pancadaria, voadora e nove expulsões


A partida transcorria normalmente, sem lanes violentes até os minutos finais. No entanto, uma dividida entre Ataíde e João Neto, deu início a uma confusão generalizada. Dois jogadores do Athletico-PR, que estavam no banco de reservas, protagonizaram agressões deplorávei: João Gabriel acertou uma voadora no rosto do atacante do Fluminense, e Vinicius Amaral chutou um jogador caído no chão. Depois de oito minutos de paralisação, nove jogadores foram expulsos. Cinco do Athletico-PR: Ataíde, João Gabriel (reserva), Renan, Vinicius Amaral (reserva) e Vitor do Carmo, e quatro do Fluminense: Alexsander, Eduardo (reserva), Metinho e João Neto.


- Consagração da "Geração dos Sonhos"


O título do Brasileiro Sub-17, inédito para o Fluminense, consagra a que vem sendo chamada "Geração dos Sonhos" de Xerém. A safra, cujos destaques são Kayky, Matheus Martins, Metinho, Arthur e João Neto, é considerada ainda mais promissora que a "Geração de Ouro" que revelou João Pedro, Marcos Paulo, Luiz Henrique, Calegari, dentre outros há dois anos.


- O Jogo


Apesar da vantagem da vitória de 2 a 1 no jogo de ida, o Fluminense tomou a iniciativa da partida e, de forma avassaladora, fez dois gols antes dos primeiros 10 minutos de partida, com Matheus Martins e Kayky. Após o começo desastroso, o Athletico-PR acordou, reagiu e descontou com Renan. Precisando virar o placar para pelo menos levar a decisão para os pênaltis, o Furacão assumiu o controle da bola e pressionou o Tricolor apostando nas jogadas pelos lados e bolas levantadas na área, desperdiçando diversas chances de gol. Acuado, o Flu tinha dificuldade em sair no contra-ataque, mas se segurava na defesa e via o tempo passar. O time carioca criou apenas uma oportunidade no 2º tempo e não conseguiu matar o confronto. O Athletico ainda acertou duas bolas na trave no fim, mas o dia era dos Moleques de Xerém.


* https://globoesporte.globo.com/pr/.


Patrocinado:









4 visualizações0 comentário