top of page
  • Foto do escritorJornal Esporte e Saúde

Em casa, Sesi Vôlei Bauru vence o Gerdau Minas e conquista o título inédito da Supercopa feminina


Sesi Vôlei Bauru conquistou a Supercopa pela primeira vez

(Créditos: Cristiano Zanardi/Inovafoto/CBV)

O primeiro título da temporada nacional de clubes 2022/2023 ficou com o Sesi Vôlei Bauru (SP). Na manhã deste domingo (23.10) a equipe do interior paulista conquistou o troféu inédito com a vitória na decisão da Supercopa Feminina contra o Gerdau Minas (MG) por 3 sets a 1 (26/24, 19/25, 25/23 e 25/22), no ginásio Paulo Skaf, em Bauru (SP).



O resultado deu ao Sesi Vôlei Bauru o segundo título em uma semana – a equipe foi campeã paulista no último dia 16. A levantadora Dani Lins foi eleita a “Craque de Ouro Unicesumar”. A oposta Kisy, do Gerdau Minas foi a maior pontuadora com 20 acertos (13 de ataque e sete de bloqueio), e pelo lado do time campeão, quem se destacou foi a oposta Ivna, com 19 (16 de ataque, um de saque e dois de bloqueio).


Dani Lins, levantadora, eleita a melhor da partida: “Agora estou sentindo uma mistura de emoções. Gratidão pela homenagem, pelas pessoas que compareceram hoje para nos apoiar. E já esperávamos um jogo equilibrado pela qualidade do adversário. Hoje é dia de comemorar, mas amanhã já temos que mudar o foco pensando na Superliga”.


Ivna, oposta e maior pontuadora do Sesi Vôlei Bauru com 19 acertos (16 de ataque, um de saque e dois de bloqueio): “O nosso lema é ‘todo mundo junto’, todas que entram em quadra são importantes na construção do resultado. Nosso time joga em conjunto. Estou muito feliz em termos conquistado este título, e ainda mais com a casa cheia. É só o começo da temporada. Vamos descansar por uns dois dias e já começar a pensar na Superliga”.


Leia, líbero do Sesi Vôlei Bauru: “Muito feliz por mais uma conquista aqui na casa nova. Nosso grupo está muito fechado, unido. Um título é sempre importante. Agora vamos comemorar hoje, e amanhã já temos que pensar no próximo desafio, pois a temporada está apenas começando”.


Marcos Kwiek, técnico do Sesi Vôlei Bauru: “É sempre muito bom conquistar um título. Sabemos que o time do Minas ainda vai evoluir muito, assim como a nossa equipe também vai crescer ao longo da temporada. Hoje nosso melhor ritmo de jogo foi um fator importante na partida”.

Lorena, central estreante no Sesi Vôlei Bauru: “Estreia pé quente. Todas as atletas do time já estavam em um ritmo muito bom e isso foi importante para dar confiança. Muito bom começar com essa energia boa, mas a temporada está apenas começando e muita coisa para acontecer ainda”.

Kisy, oposta do Gerdau Minas, maior pontuadora do jogo com 20 acertos (13 de ataque e sete de bloqueio): “Nós estamos nos primeiros passos de uma nova temporada, o resultado não veio hoje. Agora vamos focar no entrosamento, evoluir o time”.


Marcelo Hargreaves, gerente de Superliga e Novos Negócios da CBV – “A Supercopa feminina é uma disputa muito importante, que abre oficialmente a temporada nacional de clubes. Um jogo que reuniu campeãs olímpicas e atletas que conquistaram este ano a prata do Mundial com a seleção feminina. Tivemos ginásio lotado, com uma torcida que ama o voleibol e foi fundamental para esse espetáculo, e transmissão do sportv e da TV Globo para todo o país. Além disso, realizamos a homenagem da CBV aos 10 anos do bicampeonato olímpico da seleção feminina, nos Jogos de Londres. Estamos muito satisfeitos com a entrega de mais esse grande evento, uma parceria da CBV com a Prefeitura de Bauru e os clubes. E esse foi só o começo. Na sexta-feira, começa a Superliga feminina, levando as emoções do voleibol para os quatro cantos do Brasil”.



Homenagem pelos 10 anos do ouro em Londres


Momentos antes do início da partida que definiu o campeão da Supercopa feminina 2022, a CBV prestou uma homenagem em comemoração aos 10 anos da conquista do ouro olímpico da seleção feminina nos Jogos de Londres 2012. Dani Lins, do Sesi Vôlei Bauru, e Thaísa, do Gerdau Minas, que participaram da partida, foram muito aplaudidas pela torcida presente no ginásio Paulo Skaf, ao lado de outra companheira da campanha dourada, Adenízia. Elas receberam o troféu comemorativo das mãos da CEO da CBV, a também medalihsta olímpica Adriana Behar. A homenagem também foi direcionada aos demais protagonistas daquela conquista: Fabiana, Fabi, Fernanda Garay, Fernandinha, Jaqueline, Natália, Paula Pequeno, Sheilla e Tandara, o técnico José Roberto Guimarães e toda comissão técnica formada pelos auxiliares técnicos Paulo Coco e Cláudio Pinhieiro, o preparador físico José Elias Proença, o médico Júlio Nardelli, o fisioterapeuta Alexandre Ramos e o analista de desempenho Marco Antônio Di Bonifácio.


Dani Lins, levantadora: “É impossível a gente não reviver diariamente aqueles momentos. Os fãs de voleibol estão sempre nos marcando em publicações nas redes sociais com momentos daquela Olimpíada. Fico muito feliz e grata por essa homenagem, foi um momento muito importante, que marcou a minha carreira como atleta e a minha vida”.


Thaísa, central: “É muito legal esse tipo de lembrança. É muito bom recordar, valorizar os atletas e as conquistas. Fico muito feliz e grata por esta homenagem. Até hoje os jogos da nossa campanha em Londres 2012 são reprisados na TV. Foi uma façanha histórica, que me arrepia sempre que lembro. Vale a pena relembrar e deixar viva esta lembrança na memória dos torcedores”.


Adenízia, central: “Eu vejo esta homenagem como um gesto importante da CBV, de reconhecimento. Eu fico muito feliz e honrada por esta lembrança. Foi um título importante, trouxemos alegria para o povo brasileiro, e isso foi uma grande satisfação”.


* https://cbv.com.br/noticia/Créditos: Cristiano Zanardi/Inovafoto/CBV



3 visualizações0 comentário

תגובות


bottom of page