• Jornal Esporte e Saúde

Educação e MP ministram curso para conselhos tutelares


O encontro foi realizado nesta quarta-feira (19 de maio)

Foto: Arte / reprodução internet.


Cerca de 100 conselheiros tutelares de 17 municípios do Estado do Rio de Janeiro participaram nesta quarta-feira (19), do Curso de Formação para Conselheiros Tutelares, oferecido pela Secretaria Adjunta de Ensino Superior da Secretaria de Educação, através da Universidade Livre, em parceria com o Ministério Público - 1ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude Macaé, o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade e o Núcleo de Tecnologia Municipal. O curso foi ministrado pela assistente social Darana Carvalho, com experiência na área de Serviço Social aplicado e ênfase em políticas sociais. Ela pediu que os conselheiros tutelares sempre fizessem referência dos seus atendimentos às unidades de Cras ou Creas, para que os assistidos possam ter acesso aos programas e as políticas públicas oferecidas no município. "A política pública é um direito do cidadão. A desigualdade social é inerente à sociedade. A pobreza inerente à desigualdade é uma questão construída pela sociedade, mas é responsabilidade do Estado. Temos que romper com essa cultura", disse. O Ministério Público, através do Promotor de Justiça titular da 1ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Macaé, Lucas Fernandes Bernardes, disse que fez o convite aos promotores de todo Estado através das comarcas sobre o curso. Conselheiros de Volta Redonda, Macaé, Rio das Ostras, Belford Roxo, Duque de Caxias, Madalena, Itaguaí, Rio Bonito, Teresópolis, Angra dos Reis, e outras cidades participaram do encontro. "Essa capacitação é uma boa oportunidade para nós, que estamos nos reinventando nos desafios do dia a dia em meio a pandemia da Covid-19", afirmou Marta Soriano, conselheira de Rio das Ostras. O professor doutor Paulo de Tarso de Castro Peixoto, coordenador da Universidade Livre e do Laboratório de Emoções, Afetos, Sociedade & Subjetividade da Secretaria Adjunta de Ensino Superior, explicou que o Programa de Formação Continuada para os Conselheiros Tutelares tem o desafio de manter a qualidade do ensino EAD oferecido e fornecer um conteúdo ainda mais especializado. "Neste ano estaremos produzindo o segundo livro do curso de formação, que será lançado no início de 2022", explicou. Para Catarina Carvalho, vice-presidente do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, a participação de conselhos de outros municípios reforça ainda mais a parceria interinstitucional com órgãos que compõem o sistema de garantia de direitos. "Ampliamos o conhecimento e a interlocução entre o campo teórico e prático, com temas e abordagens relevantes para o trabalho dos Conselheiros Tutelares", acrescentou a Secretária Adjunta de Ensino Superior, Flaviá Picon. Na próxima quarta-feira, dia 26, a formação continuada será dada para os servidores do Centro Municipal de Atenção à Infância e à Adolescência (CEMAIA). * Jornalista: Waleska Freire \ Prefeitura de Macaé\Secretaria de Comunicação Social\Coordenadoria de Jornalismo.



3 visualizações0 comentário