• Jornal Esporte e Saúde

Curta no Museu apresenta “Poética na Incorporação”


A finalidade é desconstruir os mitos africanos por meio de um ensaio audiovisual

Foto: Arte / divulgação.


A Secretaria de Cultura em parceria com o Núcleo Interdisciplinar de Filosofia, Poética e Corporeidade - NuNada (Universidade Federal do Rio de Janeiro), estarão realizando, no dia 18 de novembro, mais uma edição do “Curta no Museu”, no Solar dos Mellos, às 19h. Será exibido o ensaio audiovisual: “Poético na Incorporação”, que tem a finalidade de desconstruir os mitos africanos, com uma releitura do pensamento e do discurso Cristão. O produtor cultural, Julius Mack, explica que a ideia do ensaio audiovisual do filme, nasceu do livro: 'Poética na incorporação', do Doutor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Igor Fagundes, publicado pela Editora Penalux, publicado em 2016. “A ideia foi buscar referências poéticas nas obras das cantoras como Maria Bethânia (partindo dos álbuns de música "Mar de Sophia" e" Pirata") e a poesia de José Inácio Vieira de Melo. Na encruzilhada de ambos (a qual será a do canto hídrico e feiticeiro da sereia com um Uli buscar esses perdidos no sertão das culturas), sobressai a Bahia na condição de paisagem mítica em que se confundem todos os santos, odisseias e pátrias em descobrimento. Como obra desses encontros, o próprio Igor Fagundes aparece: é no livro um personagem transverso, a teatralizar o confronto biográfico e, a um só tempo, filosófico de sua herança greco-cristã com a palavra vertiginosa de Erê, Oxum, Exu e Pombagira”, detalhou. Ele acrescentou que o ensaio audiovisual terá uma abordagem poética e antológica do sagrado, em alternativa à teologia, à antropologia e à praticada pelos Estudos Culturais. Para chegar à poesia como a experiência radical do acontecimento-vida, anterior e ulterior às fundamentações religiosas, científicas, filosóficas e estéticas do Ocidente, o debate em torno da identidade, da diferença e da linguagem se lança no abismo originário do ser. Preterida pela tradição ocidental, a questão do nada, se trazida à dinâmica dos corpos em transe dentro e fora dos terreiros, permite uma compreensão de espírito, espaço, tempo, céu, inferno, diabo, deus, orixá e existência liberta dos condicionantes metafísicos que orientam o Cristianismo, o Espiritismo, a Umbanda e o Candomblé. O Roteiro e Direção é do professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Igor Fagundes; as imagens, som e edição, do produtor cultural, Julius Mack. O elenco é formado por Igor Fagundes e Tulani Pereira. A realização é do Núcleo Interdisciplinar de Filosofia, Poética e Corporeidade - NuNada (Universidade Federal do Rio de Janeiro). * Jornalista: Liliane Barboza / Prefeitura de Macaé\Secretaria de Comunicação Social\Coordnadoria de Jornalismo.

Patrocinado:





8 visualizações0 comentário