• Jornal Esporte e Saúde

COVID-19: em Macaé dados epidemiológicos definem revisão de medidas restritivas


O governo utilizará como base para as novas decisões o cenário epidemiológico apresentado pelos CTC

Foto: reprodução internet.


Com base em novos dados epidemiológicos registrados pela rede primária de assistência ao paciente da COVID-19, o governo planeja reavaliar na quarta-feira (7) medidas restritivas definidas pelo decreto 079/2021 que suspende atividades comerciais, de serviços não essenciais e restringe a circulação de pessoas em espaços públicos da cidade. A estratégia foi anunciada hoje (5) pelo prefeito Welberth Rezende durante reunião virtual com comerciantes e representantes das instituições empresariais de Macaé, que atuam nos segmentos do setor varejista, hotelaria, polo gastronômico, bares e restaurantes e prestadoras de serviços.

O governo utilizará como base para as novas decisões o cenário epidemiológico apresentado pelos Centros de Triagem do Paciente do Coronavírus (CTC) que já aponta redução no percentual de novas pessoas infectadas pelo vírus.

“Dados do Centro de Triagem (CTC) apontam a redução no atendimento a novos pacientes. Se este cenário permanecer ao longo dos próximos dias, vamos chegar ao cenário de flexibilização de algumas atividades. Lembrando que esse processo será gradual e seguirá os dados epidemiológicos analisados diariamente pela equipe da Saúde”, explicou o prefeito.

O planejamento definido pela equipe da Saúde avalia os indicadores do CTC registrados dentro do período de 14 dias. Entre os dias 1 e 4 deste mês, já foi identificada a redução de 43% de novos pacientes com sintomas da COVID-19.

“Para que possamos definir novas medidas de flexibilização é preciso levar em consideração este cenário epidemiológico que é acompanhado diariamente pela equipe da Saúde”, ressaltou o secretário adjunto de Atenção Básica, Luiz Carlos Braga.

Durante a reunião, o prefeito ouviu o posicionamento dos representantes das instituições empresariais que reiteraram a importância da definição coletiva de medidas restritivas que causam impacto direto na dinâmica da economia local.

“O comércio local tenta sobreviver aos impactos causados pela pandemia desde o ano passado. Muitos comerciantes não conseguem mais arcar com despesas e assegurar o emprego dos seus funcionários. Todo auxílio do governo é fundamental para resgatar este setor que representa a história da nossa cidade”, apontou o presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), Olavo Pinheiro Júnior.

A definição de novos auxílios ao micro e pequeno empresário do município faz parte do plano estabelecido pelo governo para promover o resgate da economia local.

“É prioridade manter esse diálogo com as instituições que representam o comércio e o setor de prestação de serviços. Estamos trabalhando com a Câmara de Vereadores a aprovação de auxílios aos empresários locais, como a criação de uma linha de crédito, e discutindo de forma interna medidas tributárias que possam reduzir o impacto sobre a base da nossa economia”, afirmou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Vianna.

Também participaram da reunião, o secretário adjunto de Políticas Energéticas, Júnior Luna; o presidente CDL Macaé, Luiz Henrique Fragoso; a presidente do Convention and Visitors Bureau (CVB), Izabel Tunas; a presidente do Polo Gastronômico de Macaé, Miriam Dias; o presidente da Amacon, Adail Costa Júnior; a representante do Conselho Regional de Educação Física (CREFI1-RJ), Samara Jardim; o representante da Comissão Municipal da Firjan, Evandro Cunha e o representante regional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Leonardo Gazire.

* Jornalista: Márcio Siqueira \ Prefeitura de Macaé\Secretaria de Comunicação Social\Coordenadoria de Jornalismo.


25 visualizações0 comentário