• Jornal Esporte e Saúde

Centro de Controle de Zoonoses cria plano de ação para combate ao Aedes aegypti em Macaé, no RJ

Visitas domiciliares para monitorar e extinguir focos do mosquito começam na segunda-feira (29), mas seguem protocolo especial devido à pandemia de Covid-19.



Mosquito Aedes aegypti é o tranmissor da zika, dengue e chikungunya. — Foto: Rodrigo Méxas e Raquel Portugal/Fundação Oswaldo Cruz/Divulgação.


O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Macaé (RJ), ligado à Secretaria de Saúde de Macaé, criou um plano de ação para monitorar e extinguir os focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, o Aedes aegypti, sem colocar a população em risco de contágio pela Covid-19.


Município já tem mais de dois mil casos confirmados do novo coronavírus.


De acordo com a Prefeitura, as visitas domiciliares começam na próxima segunda-feira (29), mas, devido à pandemia, vão seguir um protocolo diferente.


Com distância mínima de dois metros ou por interfone, os agentes vão orientar e estimular o autocuidado do morador sobre as ações de remoção mecânica dos criadouros do Aedes aegypti, além de outras medidas de prevenção e controle de doenças.


A visita também estará limitada apenas a área externa, como frente, lados e fundo do quintal ou terreno, ou seja, não serão realizadas atividades de combate ao mosquito na área interna do domicílio.


De acordo com o coordenador do CCZ, Flávio Paschoal, caso seja identificado um morador com sintomas de Covid-19 durante as visitas, ele será imediatamente encaminhado ao Centro de Triagem do Paciente com Coronavírus (CTC).


“Quando o Agente de Combate a Endemias (ACE) identificar, nos domicílios visitados, a presença de moradores com qualquer sintoma respiratório, como tosse, coriza, dor de garganta, falta de ar, febre, entre outros, ele será imediatamente encaminhado ao CTC. Caso o responsável pelo imóvel, no momento da atividade, tenha idade superior a 60 anos, a visita será suspensa” explicou o coordenador Flávio.


Além das residências, a ação, que acontecerá em vários pontos do município, também acontecerá em pontos estratégicos, como borracharia e ferro-velho, com orientação a respeito de controle do vetor, aplicação de larvicida e controle mecânico.


- Controle de roedores e reconhecimento geográfico

Além dos trabalhos de combate ao Aedes, que acontecem em todo município, o CCZ também vai realizar, durante a semana, ações de controle de roedores.


De acordo com a Prefeitura, na segunda-feira (29), os trabalhos acontecerão no bairro Cajueiros. Na terça (30), será a vez de Imbetiba. Já na quarta (1), Centro. A ação prosseguirá no bairro Lagomar na quinta (2). Já na sexta (3) será a vez do bairro Visconde.


Ainda segundo a Prefeitura, o CCZ ainda atuará no reconhecimento geográfico do município, com produção e atualização dos mapas dos bairros.


Os agentes irão observar a numeração dos quarteirões, identificação de ruas e logradouros, com o quantitativo dos imóveis por tipo.


O reconhecimento geográfico é uma atividade que precede a programação das operações de campo, de pesquisa entomológica e de tratamento químico.


Em casos de chuvas, os itinerários poderão sofrer alterações.


* Por G1 — Região dos Lagos.






5 visualizações0 comentário