top of page
  • Foto do escritorJornal Esporte e Saúde

Catarata é a principal causa de cegueira no mundo, e o Brasil é um dos países mais afetados

Dr. Glauco Gomes e Dra. Liz Pimentel /foto: Divulgação


Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) revelam uma tendência preocupante: aumento de casos de cegueira relacionados à catarata. Segundo levantamento, a doença representa 51% dos casos globais de cegueira, afetando aproximadamente 20 milhões de pessoas.


No Brasil, estima-se que surjam cerca de 550 mil novos casos anualmente. Segundo a SBO, 47% da população entre 65 a 75 anos tem o problema aumentando para 73% após os 80 anos.O envelhecimento da populaçãoe o acesso limitado à assistência oftalmológica estão entre os principais fatores.



Dr. Glauco Gomes, um oftalmologista da clínica OFT, em Macaé, destaca a criticidade desses dados: “A situação no Brasil é alarmante. O número de novos casos a cada ano destaca a necessidade de aumento da conscientização, medidas preventivas e acesso a cirurgia”, afirma.



Dra. Liz Pimentel, oftalmologista também da clínica OFT acrescenta queum estudo observacional, publicado no JAMA Internal Medicine, analisou mais de 3.000 pacientes com catarata e descobriu que aqueles submetidos à cirurgia tiveram um risco 29% menor de desenvolver demência. Segundo a médica, os o estudo mostra que a cirurgia de catarata pode ajudar a reduzir o risco de demência: “A cirurgia éimportante não somente pra melhora da visão, já que a doença pode prejudicar a cognição, estar associada a inflamação no cérebro ou alterações no metabolismo cerebral”, concluiu a médica.


O diagnóstico da catarata é feito através de uma consulta oftalmológica de rotina. A maioria das pessoas não percebe a doença logo no início porque a visão não sofre alterações perceptíveis. Por isso, é comum a cirurgia só acontecer depois de meses e, em alguns casos, mais de um ano após o diagnóstico.


Caracterizada pelo embaçamento da lente natural do olho, a catarata provoca sintomas como visão borrada ou enevoada, sensibilidade à luz e dificuldade para dirigir à noite. Diversos fatores podem desencadear a catarata, como idade, exposição à radiação ultravioleta, diabetes, doenças cardíacas e uso de corticosteroides.


Existem algumas medidas que podem ser tomadas para reduzir o risco de catarata, incluindo: usar óculos de sol com proteção UV, manter um estilo de vida saudável, com dieta equilibrada e exercícios regulares, controle de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão.


O tratamento para catarata é cirúrgico, sendo geralmente seguro e eficaz, capaz de restaurar a visão normal.


Dr. Glauco Gomes alerta para a projeção de que casos de cegueira e deficiência visual relacionados à catarata dobrarão até 2050: "Isso deve ser um alerta para aumentar a conscientização pública, melhorar o acesso à cirurgia e priorizar medidas preventivas para mitigar o impacto crescente das cataratas na saúde visual global", explica.


SobreDr. Glauco Gomes:


Dr. Glauco Gomes é especialista em oftalmologia pelo Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Fellowship em Córnea, Doenças Externas e Lente de Contato na Universidade de São Paulo (USP). Fellowship em Catarata pelo Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. Especialista em Oftalmologia pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) / Associação Médica Brasileira (AMB).


Dra. Liz Pimentel:


Oftalmologista especialista em Oftalmologia Geral pelo programa de Residência Médica do Hospital Federal dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro.  Fellowship em Catarata pelo Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo. Fellowship em Superfície Ocular, Doenças Externas e Transplante de Córnea pelo Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo. Especialista em Oftalmologia pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia.


Sobre a OFT:


A OFT é uma clínica oftalmológica especializada em cirurgia da catarata, refrativa e Ceratocone.O corpo clínico é formado pelo Dr. Glauco Gomes e Dra. Liz Pimentel. Oferece ainda: consulta oftalmológica completa e exames complementares como: tomografia de coerência óptica, biometria óptica, topografia computadorizada de córnea, paquimetria, mapeamento de retina, pressão ocular, adaptação de lentes de contato especiais rígidas (Corneanas e esclerais).  .


* Juliana Martarello


9 visualizações0 comentário
bottom of page