• Jornal Esporte e Saúde

Carmelitas abre o Carnaval com críticas políticas

Cortejo reuniu fantasias críticas e irreverentes nas ruas de Santa Teresa, na Região Central do Rio


Rio - Depois da dificuldade para conseguir desfilar, o bloco Carmelitas, que só recebeu autorização da PM nesta quinta-feira, levou milhares de foliões para pular Carnaval em tom de protesto político na tarde desta sexta-feira. Com o enredo "Azul ou rosa é tudo igual", em referência à declaração polêmica da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que disse que meninas vestem rosa e meninos vestem azul, o tradicional cortejo reuniu fantasias críticas e irreverentes nas ruas de Santa Teresa, na Região Central do Rio.



Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa, Rio de Janeiro - Daniel Castelo Branco.


O servidor público Cesar Teixeira, 57 anos, e a boleira Vera Lúcia Soares da Silva, 55, da Tijuca, foram fantasiados de paciente terminal e enfermeira. Vestido de azul e rosa, ele carregava aparelho hospitalar de soro como se tivesse suco de laranja dentro, uma crítica aos escândalos de corrupção envolvendo o ex-chefe de Segurança de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz. E segurava uma placa com a pergunta "Quanto VALE uma vida?", referindo-se às tragédias de Brumadinho e do Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande.



Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia.


"A fantasia é do paciente que está aproveitando o Carnaval. Ele também fugiu do hospital como a carmelita (da lenda que inspirou o bloco) e este ano nós trazemos uma mensagem forte. Esse é o tradicional suco de laranja que Brasília está exportando para todos os estados do Brasil", comentou César.


A professora Tatiane Vieira, 32, saiu da Penha para vender sacolés no Carmelitas e para curtir o bloco. O anúncio dos sorvetes também era provocante: "Só não tem de laranja, 'taokey'?", forma como o presidente Jair Bolsonaro costuma dizer "Tá ok?". "Juntei o útil ao agradável. Nem preciso dizer que adoro o presidente, né?", ironizou.


A também professora Sofia Ulloa, 67, de Petrópolos, foi vestida a caráter, de carmelita, e deu sua contribuição crítica em uma mensagem em espanhol escrita na fantasia endereçada ao presidente norte-americano, Donald Trump. Em tradução para o português, lia-se: "Seu filho da... Não faça muro. Cuida dos seus filhos". Ela quis criticar a ideia de Trump de construir um muro para separar a fronteira dos Estados Unidos do México e banir a entrada da maior parte dos refugiados.


"Diz a lenda que uma freira fugiu do convento no sábado e só voltou depois do Carnaval. Minha mãe também era carmelita", contou Sofia, que estava com o marido e a irmã.



Carnaval 2019 - Bloco Carmelitas - Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa, Rio de Janeiro RJ. Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia - Daniel Castelo Branco.


O samba do Carmelitas em 2019 entoa: "Azul ou rosa é tudo igual. Canto de peito aberto, é Carnaval! Não vi ninguém na goiabeira (em ironia a outra declaração da ministra Damares, que afirmou ter visto Jesus em cima de um pé de goiabas). O amor eu encontrei nessa ladeira". As denúncias de corrupção na política são lembradas em outro trecho: "Se mandinga ajudar, vade retro opressor. A falsa honestidade foi pra conta do assessor. A gente vai voltar a ser feliz. É fato, não é fake! Menos ódio no país".



Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa - Daniel Castelo Branco.


O Carmelitas desfila novamente na terça-feira de Carnaval, às 8h, saindo do Largo do Curvelo, em Santa Teresa.



Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa, Rio de Janeiro - Daniel Castelo Branco.


O Carmelitas foi fundado em 1990 por moradores do bairro e relembra uma lenda urbana segundo a qual uma freira do Convento das Carmelitas fugiu da clausura para pular carnaval na Sexta-Feira e voltou apenas na terça-feira de carnaval. Por esse motivo, o bloco faz dois desfiles durante o carnaval, um, partindo do convento, e outro caminhando em direção a este.



Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia.


O desfile do Carmelitas era um dos que estavam ameaçados devido à falta de uma autorização, que, até quinta-feira, não havia sido emitida pela Polícia Militar (PM). A questão foi resolvida após reunião, também nesta quinta, entre representantes de duas das principais ligas dos blocos do Rio, a Sebastiana e a Amigos do Zé Pereira, a Riotur e comandantes dos batalhões da PM.



Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia.


A situação do Carmelitas era a mesma de outros blocos famosos na cidade, como o Imprensa que Eu Gamo, o Suvaco do Cristo, o Céu na Terra e o Toca Rauul.



Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia.


A situação do Carmelitas era a mesma de outros blocos famosos na cidade, como o Imprensa que Eu Gamo, o Suvaco do Cristo, o Céu na Terra e o Toca Rauul.



Carnaval 2019 - Bloco Carmelitas - Foliões de divertem em um dos mais tradicionais blocos de Santa Teresa, Rio de Janeiro RJ. Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia - Daniel Castelo Branco.


* O DIA/Por GUSTAVO RIBEIRO.



14 visualizações0 comentário