• Jornal Esporte e Saúde

Câncer de mama é tema de encontro em Macaé


Programação foi realizada na tarde desta segunda-feira


“Câncer de mama: Diversos olhares”. Este foi o tema do "Dia Laranja: Encontro Multidisciplinar", realizado na tarde desta segunda-feira (17), no auditório do Centro Integrado de Administração da Saúde (Cias). A programação, que faz parte do Outubro Rosa, foi direcionada a servidores e universitários dos cursos de Medicina e Enfermagem. O objetivo foi destacar a importância de levar acolhimento, sensibilidade e olhar humanizado no atendimento ao paciente que recebe diagnóstico de câncer de mama. A programação contou com palestras que tratam de direitos, saúde mental e depoimentos. A próxima ação será na na sede do CriaSana, em data ainda a ser definida, com parceria da Secretaria de Políticas para Mulheres.



A programação foi em parceria com a instituição Unamama, Programa Saúde da Mulher, Instituto de Oncologia, além do Núcleo de Educação Permanente em Saúde de Macaé, responsável pela entrega de certificados aos participantes. A abertura foi realizada pelo Secretário de Saúde, Alexandre Cruz, que, acompanhado da Coordenadora do Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Renata Louredo Rodrigues, destacou a importância do evento.



"Temos que continuar com este olhar humanizado e diferenciado quanto aos cuidados com a saúde da mulher. O objetivo é permitir que a saúde seja plena. Que outras programações de 'Outubro Rosa' aconteçam para que possamos cada vez mais primar pela saúde da mulher. Para o próximo ano, a previsão é ampliar os atendimentos dedicados à mulher. Agradecemos a toda equipe da Saúde por este olhar. Agradeço a parceria com Marilena Garcia, que mostra força e luta diante do câncer", ressalta.



Renata Louredo Rodrigues ressaltou que a Semana do Outubro Rosa é marcada por diversas atividades. “Já promovemos ação para população e agora para servidores, como enfermeiros, médicos e acadêmicos dos cursos de Medicina e Enfermagem do campus Macaé da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Universidade Estácio de Sá. Firmamos parceria com a Unamama, que através da fundadora, Marilena Garcia. A proposta é destacar o acolhimento diferenciado e maior sensibilidade do servidor na abordagem ao paciente que recebe o diagnóstico. Sabemos que 95% dos diagnósticos precoces têm cura. Nunca podemos deixar de estimular a medicina preventiva e o cuidado. Humanizar e acolher são virtudes na área da saúde”, pontuou.



A programação foi iniciada pelo depoimento da convidada da Unamama, a professora Margarida Maria Barcelos, que emocionou os participantes ao citar um trecho de “Contos de amor rasga” de Marina Colasanti e o seu olhar enquanto paciente do câncer de mama, descoberto em 2021. “Tive um susto em 2021 ao me tocar. Já tive três nódulos, mas negativos, e dessa vez o susto com carcinoma. Foram meses intensos que mexeram com o físico e a alma. Agradeço aos médicos e à minha rede de apoio. Fiz minha cirurgia e agora faço hormonioterapia. Descobrir um câncer é doloroso, mas temos que realmente lutar”, avaliou. Já a voluntária da Unamama, Waleska Freire, esclareceu aos presentes o funcionamento da iniciativa, atendimento e a realização da campanha permanente “Se toca, o ano todo é rosa”.



Palestras


O médico oncologista do Instituto de Macaé, Gabriel Mussi, e a mastologista Paula Bichara destacaram o tema "Paciente com câncer como abordar na consulta. O que devo orientar? Para quem? Para onde?". Na ocasião, Mussi destacou o acolhimento e empatia diante do diagnóstico, como dar notícia e a importância de ouvir o paciente. “Este é um atendimento muito diferente, pois tratamos do paciente que deseja saber detalhes da doença, e da família, se realmente está informada. Tratamos com a aceitação da doença e com a importância da prevenção. De acordo com registros, se é descoberto um caroço de até um centímetro, as chances de cura chegam a 95%. Constatamos que, em virtude da pandemia, o número de mulheres com câncer de mama aumentou, tendo em vista que não procuraram atendimento médico”, declarou.


Já a psicóloga Paola Salvaterra, que atua no Centro Especializado de Atendimento à Mulher Pérola Bichara Benjamim (Ceam), abordou a temática “Abordagem psicossocial”. Ela destacou conceitos, questões como impacto da mulher com diagnóstico do câncer de mama, aspectos psicossocial sobre o feminino, tratamento, apoio e acolhimento.


“O que fazemos questão de frisar é manter o emocional equilibrado e a qualidade de vida diante do diagnóstico. Escutar você possui câncer de mama dói. A questão física fica evidente. Entretanto, não é possível deixar o impacto psicológico de lado. Quando o impacto psicológico é vivido com conhecimento, compreensão e apoio psíquico, é possível o entendimento dos medos e das angústias”, salientou.


O assunto “Direitos do paciente com câncer de mama” foi apresentado pela advogada do Ceam, Rute Curvelo. Ela esclareceu informações de acesso a benefícios previstos em lei, como saques do FGTS, PIS, PASEP, auxílio doença, aposentadoria por invalidez e Benefício da Prestação Continuada (BPC).


Unamama


A União Solidária no Combate ao Câncer de Mama Macaé (Unamama) é uma associação civil sem fins lucrativos, criada em 2007 por um grupo de pacientes, familiares e voluntários que buscaram trabalhar em prol da prevenção ao câncer de mama. A Unamama funciona no Centro Cultural Magdá Garcia, sala 202, na Avenida Rui Barbosa, 435 (altos da loja Ponto Frio do Calçadão), onde as pessoas são acolhidas e informadas sobre os serviços que necessitam, como mamografia e ultrassonografia e fazem oficinas de artesanato, culinária e customização.


* Jornalista: Joice Trindade / Fotos: Bruno Campos / Comunicação Macaé



Divulgação:



Agenda aberta.

Nutrição Estética

Contato Instagram: @janiranutricionista



Luciana Perfumes e Presentes / (22) 99824 9701



5 visualizações0 comentário