• Jornal Esporte e Saúde

Brincadeira de criança: mais que bom, é necessário

Dia Internacional do Brincar, 28 de maio, reforça a importância do tempo de qualidade dos adultos com seus filhos


O brincar é um direito assegurado pelo artigo 31º da Convenção sobre os Direitos da Criança das Nações Unidas. E também está previsto no artigo 227 da Constituição Federal de 1988


Neste dia 28 de maio, é celebrado o Dia Internacional do Brincar. A data foi escolhida para reforçar as brincadeiras como um ato essencial, que é da natureza da criança e de extrema importância para conectá-las ao mundo e impulsionar seu desenvolvimento físico, motor, emocional, social e cognitivo.


As sequelas do isolamento social não foram apenas negativas. Durante a pandemia, muitos pais voltaram a ter momentos especiais com seus filhos dentro de casa. As brincadeiras consideradas antigas, ressurgiram no dia a dia das famílias, como por exemplo, as contações de histórias, cirandas, cabaninhas caseiras, jogos lúdicos com objetos de madeira e coloridos e muito mais.


Com a vida de volta ao normal e o retorno das aulas presenciais, essas experiências não devem ficar para trás. Especialistas afirmam que, brincando as crianças assimilam informações, aprendem a se expressar, se posicionar e a respeitar limites. Criando consciência didática, interpessoal e autoconhecimento. Além de possibilitar contato com a natureza, onde as mesmas descobrem espaços, cheiros, alturas e texturas; usam e abusam da imaginação.


“A brincadeira que verdadeiramente estimula é aquela que permite a criança experimentar de tudo um pouco, que use o corpo, a cabeça e experimente materiais. A criança dá a direção do que ela é capaz, do que ela gosta de brincar, do que ela precisa”, afirma Patrícia Grinfeld, psicóloga e sócia fundadora do Ninguém Cresce Sozinho.


O objetivo do Dia Internacional do Brincar - 28 de maio, é incentivar as brincadeiras, o tempo de qualidade gasto nela e o envolvimento dos familiares com as crianças

Isabel Tuñas \ foto: Divulgação


Para Isabel Tuñas, mãe e CEO da rede de franquias Facilitoy, loja de locação de brinquedos psicopedagógicos, a responsabilidade do adulto de ofertar presença, tempo e ambientes propícios para que os pequenos possam brincar e se expressar deve ser encarada de coração aberto e cumprida, pelo bem dos pequenos.


"Acreditamos que o brincar, sobretudo na primeira infância, é a expressão da criança no mundo, pois é através da brincadeira que ocorre o desenvolvimento físico, cognitivo, emocional, cultural e afetivo dos pequenos. Ocorre que muitas vezes os pais não têm conhecimento do valor da brincadeira para o seu filho, sendo comum encontrar pessoas que ainda acreditam que brincar é somente um entretenimento, como se não tivesse diversos aprendizados envolvidos”, afirma.


Isabel tem o sonho de conscientizar o mundo sobre a importância do brincar:


“O brincar transforma, queremos oferecer aos pequenos, através do aluguel, os brinquedos certos para potencializar o desenvolvimento, pelo tempo certo que eles irão realmente usar. São esses estímulos recebidos desde os primeiros meses que vão determinar sua postura e seu modo de viver na fase adulta”, ressalta a empresária.


Foto arte: Divulgação


* * Jornalista Ana Clara Menezes \ Assessora de imprensa


18 visualizações0 comentário