• Jornal Esporte e Saúde

Brasil x Coreia do Sul na semi do vôlei feminino das Olimpíadas: veja onde assistir

Seleção feminina de vôlei está a uma vitória de disputar o ouro no Japão


A seleção brasileira feminina de vôlei vai entrar em quadra nesta sexta-feira, às 9h (de Brasília), para encarar a Coreia do Sul pela semifinal das Olimpíadas de Tóquio. A vitória coloca a equipe na decisão pela terceira vez nas últimas quatro edições de Jogos; o Brasil levou o ouro em Pequim 2008 e Londres 2012.


Rosamaria e Fernanda Garay comemoram vitória do Brasil — Foto: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Pela frente, José Roberto Guimarães e companhia duelam contra as embaladas sul-coreanas, que encararam cinco sets diante da Turquia para chegar à semifinal.


O Brasil, por outro lado, chega motivado e em alta depois de vencer o Comitê Olímpico Russo de virada, com exibição dominante a partir do segundo set. O desempenho anima o treinador antes da etapa direta da briga por medalhas.


- A gente sabe que é um time que tem força. É um time que não vai entregar fácil, que vai lutar. É um time que tem essa característica. Realmente não somos o melhor time, tem times melhores que a gente. Mas eu acho que essa briga é o que faz o Brasil um time competitivo. E que nos coloca ali no meio. Pessoal sabe que, se deixar o Brasil crescer, vai ser difícil. Se encontrarmos força, o bicho vai pegar - declarou o técnico José Roberto Guimarães.


O discurso de Zé Roberto Guimarães dialoga com a última imagem deixada pela equipe brasileira. Diante das russas, o Brasil contou com o retorno em alto nível da levantadora titular Macris, que se recuperou de lesão no tornozelo, e de Rosamaria, oposta que saiu do banco para ser protagonista do duelo.


O elenco tem respondido, e o Brasil chega como o único invicto entre os quatro melhores da competição. Sérvia e Estados Unidos, que disputam a outra semifinal, perderam uma vez no Japão - as sérvias, inclusive, para o próprio time verde-amarelo.

O duelo desta quinta-feira também serve como uma conquista particular do próprio Zé Roberto Guimarães. Depois da queda precoce nas quartas da Rio 2016, marcada pela cena do abraço do neto na quadra do Maracanãzinho, o treinador pode fazer a quarta final da carreira olímpica enquanto treinador.


Nas outras três decisões, o ouro veio para a seleção: 1992 para a masculina e 2008 e 2012 para a feminina. O retrospecto altamente favorável anima, especialmente antes do confronto desta quinta-feira contra as asiáticas.


Brasil e Coreia do Sul se encontraram na abertura do torneio olímpico de vôlei — Foto: Divulgação COB


Antes da eliminar a Turquia, a Coreia do Sul esteve presente no grupo do Brasil. As asiáticas somaram três vitórias e duas derrotas, uma delas para a seleção, logo na estreia olímpica, pelo placar de 3 a 0 (parciais de 25/10, 25/22 e 25/19).

Portanto, o favoritismo se encontra na equipe feminina brasileira, motivada pela vitória anterior e diante da possibilidade de retornar à final olímpica após nove anos.

Quem passar de Brasil x Coreia do Sul encara na final o vencedor do duelo entre Sérvia x Estados Unidos, que entram em quadra a partir da 1h (de Brasília).

* Por Redação do ge — Tóquio, Japão.




3 visualizações0 comentário