• Jornal Esporte e Saúde

Análise: no até breve da Liberta, Flamengo tem atuação burocrática e sem inspiração

Setor ofensivo mostra pouca velocidade com Gabi e Pedro, e Gerson auxilia pouco na armação. Time sai de campo sem ser vazado após seis jogos


O objetivo de terminar em primeiro lugar no grupo foi alcançado, mas o Flamengo deixou bastante a desejar na postura e na produção ofensiva no empate em 0 a 0 com o Vélez Sarsfield, quinta-feira, no Maracanã. O até logo na Libertadores, que volta na segunda quinzena de julho com as oitavas, foi com uma atuação burocrática.


Pedro e Bouzat - Flamengo x Vélez Sarsfield - Libertadores 2021 — Foto: Staff Images/Conmebol

A boa notícia é que o time não levou gol, o que não aconteceu nas seis partidas anteriores.

Sem Bruno Henrique, suspenso, Rogério Ceni colocou a dupla Pedro e Gabigol, que, nesta partida, não casou bem. O time ficou mais lento e previsível. Pedro precisou sair muito da área, e Gabriel, preso na marcação, pouco foi visto.

Foi um primeiro tempo arrastado, e a única grande emoção foi o chute de Arrascaeta na trave. Na defesa os sustos foram com os erros na saída de bola. A partida estava tão estranha que algo raro aconteceu: o Flamengo com menos posse de bola do que o rival dentro de casa: 47%.


Na segunda etapa, houve melhora na intensidade e na produtividade, embora ainda aquém do padrão do time. Pedro, Gustavo Henrique e Vitinho tiveram as melhores chances, mas não acertaram o alvo. Levando em conta apenas o segundo tempo, a posse de bola passou a 71%.


- Concordo que produzimos abaixo do esperado. De bom fica o zero que mantivemos no placar. O primeiro tempo foi muito ruim, muito abaixo. Foi pouca intensidade. No segundo tempo melhorou bastante. No primeiro tempo não apresentamos o futebol que vemos o time jogar - disse Ceni.


Gerson não conseguiu ajudar o time a ser mais presente no campo do Vélez. O volante fez teve uma exibição bem abaixo de sua média e, substituído, não escondeu a irritação. Como está em negociação avançada com o Olympique de Marselha, existe o risco de o jogo ter sido sua despedida do Flamengo.


Gerson Flamengo — Foto: Staff Images / Conmebol

Na próxima terça-feira, a Conmebol realiza o sorteio das oitavas de final. Antes, no domingo, novamente no Maracanã, o Flamengo estreia no Brasileiro, e o adversário será o Palmeiras. Com um adversário deste porte, o time tem uma boa chance de apagar qualquer má impressão deixada contra o Vélez.

* https://globoesporte.globo.com/Por Fred Huber — Rio de Janeiro,


Patrocinado:




7 visualizações0 comentário