• Jornal Esporte e Saúde

Análise: com time mais compacto e muita entrega, Fluminense segue vivo na Sul-Americana

No primeiro jogo com Fernando Diniz, jogadores mostram comprometimento e conquistam importante vitória por 2 a 1 em cima do Junior Barranquilla, que deixa o time seguir sonhando

Sob novo comando técnico e respirando por aparelhos na Sul-Americana, o Fluminense deu uma resposta ao menos animadora para o torcedor na estreia de Fernando Diniz, ao vencer o Junior Barranquilla, por 2 a 1, no Maracanã, pela quarta rodada do Grupo H da competição da Conmebol.


Não que o resultado tenha deixado o clube em estado favorável no grupo. A situação do Flu ainda é bem complicada em busca de uma das vagas para a próxima fase com apenas uma equipe avançando por chave.


Com gols de Ganso e Luiz Henrique, Fluminense segue vivo na Sul-Americana — Foto: André Durão

Mas ver o time atuando mais compacto, principalmente no primeiro tempo, e conseguindo impor ritmo, com a arquibancada em sintonia como não se via há um tempo, faz com que o torcedor volte a sonhar com uma possível classificação tendo que vencer dois jogos fora.


É bem verdade que o Junior Barranquilla tem vida mais fácil e só depende de si para se garantir nas oitavas de final, já que tem sete pontos, mesmo número que o Fluminense, e atuará por duas vitórias em casa, contra Oriente Petrolero e Unión Santa Fe, na última rodada.


Jogadores do Fluminense comemoram o gol de Ganso — Foto: André Durão

Porém, o triunfo no Maracanã representa muito para os comandados de Fernando Diniz. O Junior vinha de uma sequência de seis vitórias consecutivas (uma delas por W.O) e era o time a ser batido da chave.


Um simples empate no confronto deixaria o Fluminense fora. E a equipe brasileira não vinha de boas atuações, muito menos de bons resultados, após a derrota para o Inter, o empate sem gols com o Unión e a virada sofrida para o Coritiba.


Mesmo com pouco tempo de trabalho, Diniz conseguiu mudar uma característica que acabou sendo marca de boa parte dos jogos com Abel na temporada até então: a de não começar bem e ter que remar ainda mais no segundo tempo.


Com gás renovado pelo novo comandante, o Tricolor iniciou o jogo apresentando volume. A pressão inicial surtiu efeito, e a equipe conseguiu encontrar a rede rapidamente, aos três minutos, em um bonito gol de Ganso, que marcou pela terceira vez em dois jogos.


David Braz comemora com Ganso gol do meia no jogo Fluminense x Junior Barranquilla pela Sul-Americana no Maracanã — Foto: André Durão

O gol cedo foi importante para que o time - ainda em processo de assimilação da nova forma em que atua Diniz - pudesse trabalhar a bola, atrair o adversário e tentar investidas com espaços mais abertos.


Algo que chamou a atenção foi a proximidade dos jogadores e até mesmo a entrega. Em vários momentos foi possível ver o atacante Germán Cano, por exemplo, recuando para marcar na linha esquerda de defesa.

No segundo tempo, porém, o Fluminense não conseguiu retornar do vestiário com a mesma intensidade, algo esperado, diante do comprometimento apresentado nos 45 minutos iniciais.


Com isso, o Junior Barranquilla ganhou terreno e foi se aproximando do gol, que acabou saindo com Borja, após uma sequência de investidas da equipe colombiana.


Luiz Henrique e Fred comemoram gol do Fluminense — Foto: André Durão

O gol fez Diniz ousar e mandar Fred e Nathan a campo nas vagas de Cris Silva e Willian Bigode. Com Yago Felipe deslocado para a lateral esquerda, dois meias e dois homens que atuam mais centralizados, além de Luiz Henrique no ataque, o Fluminense mostrou luta em um momento importante.


Mesmo sem a mesma organização apresentada na primeira etapa, o time não se abateu e contou com o apoio dos 10 mil torcedores que estavam no Maracanã e cantavam a plenos pulmões desde o início para quebrar a sequência de vitórias do adversário.


Torcida do Fluminense contra o Junior Barranquilla — Foto: Mailson Santana/Fluminense

Ganso encontrou Fred na entrada da área. O camisa 9, desta vez atuando de garçom, serviu Luiz Henrique, que mandou para a rede para evitar o adeus precoce.


Ainda é muito cedo para fazer qualquer avaliação sobre os primeiros passos de Diniz no Fluminense. Mas um triunfo tem o incrível poder de renovar as esperanças - principalmente depois das recorrentes vaias que assolavam o clube.


Maracanã sofreu com temporal antes do jogo — Foto: André Durão

A atuação pode não ter sido de gala, mas, assim como o temporal que precedeu a partida, certamente, serviu para lavar a alma do torcedor, como bem ressaltou Fernando Diniz na coletiva de pós-jogo:

"A vitória lava a alma, passa confiança e credibilidade. Vai ser muito legal esse Maracanã cada vez mais cheio. O torcedor gosta de ver o time ganhar e jogar bem. Faço esse convite ao torcedor, inclusive. Empenho não faltou e não vai faltar"

Fernando Diniz, em Fluminense x Junior Barranquilla - Copa Sul-Americana, Maracanã — Foto: André Durão

Com o resultado, o Fluminense ocupa a segunda posição do Grupo H da Sul-Americana com 7 pontos, empatado com o Junior Barranquilla, líder. Os dois, porém, podem ser ultrapassados pelo Unión Santa fé, que tem 5 pontos e joga nesta quinta-feira contra o lanterna Oriente Petrolero.


Pela competição, o Fluminense volta a campo no dia 19/05, às 19h15, contra o Unión Santa Fé, na Argentina. Antes, porém, a equipe enfrenta o Palmeiras, no próximo domingo, às 16h, no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro.

* https://ge.globo.com/futebol/Por Gustavo Garcia — Rio de Janeiro

2 visualizações0 comentário